Nossa Senhora de Coromoto

Dia 11 de setembro

História de Nossa Senhora  de Coromoto

No fim do Ano de 1651, o cacique Coromoto e sua mulher atravessavam um riacho, viram uma linda Senhora, com um lindo Menino nos braços, andando sobre as água. A Senhora lhes disse no seu idioma: "Dirijam-se à casa dos brancos e peçam que lhes derramem a água sobre a cabeça (o batismo), para que possam alcançar o Céu".

Tempo depois, o espanhol João Sanchez, passando por aquele região, o cacique Coromoto, se encontra com ele e lhe fala da visão que teve da linda Senhora, e o que Ela lhe dissera. O cacique tem uma breve explicação do que se tratava, e concorda que quem quisesse de tribo, fosse instruída na fé cristã, e depois recebessem o batismos. Então vários índios são batizados, mas o cacique, acostumado com as liberdade mundanas, não quis se adaptar as regras cristãs.

Em 08 de setembro de 1652, Nossa Senhora aparece novamente para o índio. Na presença de sua mulher, sua cunhada Isabel e o filho de Isabel. O cacique pega o arco e a flecha para matá-la. Nossa Senhora se aproxima, Coromoto largo o arco e tenta agarra-La. Quando Ela seria tocada, Nossa Senhora desaparece, deixando na mão do índio um pergaminho oval, medido 27 x 22 mm, com sua imagem. O filho de Isabel, seu sobrinho, saiu correndo para avisar ao espanhol João Sanchez o que tinha acontecido.

No dia seguinte, o cacique, quis saiu dali acompanhado de alguns índios, e foi em direção ao montes. Ao entrar na mata foi mordido por uma cobra venenosa. O cacique conhecedor do veneno da cobra que o morderá, pensou ser um castigo, da bela Senhora. Se arrependeu por não ter aceito o batismo que Ela lhe proporá. Ele então, começa a gritar pedindo o batismo. Neste instante passava por ali, um católico da cidade de Barinas, que o batizou. O Cacique ficou curado. Pediu a todos de sua tribo que fossem batizado. O cacique morreu de velhice.

 

Atualmente, o pergaminho com a imagem, esta em um relicário de ouro, com brilhante e de pérolas, que se encontra no Santuário de Nossa Senhora de Coromoto, erguido no lugar da segunda aparição. Que foi inaugurado, com uma celebração solene Eucarística, celebrada pelo Papa João Paulo II, em 10 de fevereiro de 1996.

Em 7 de outubro de 1944, o Papa Pio XII, declarou Nossa Senhora de Coromoto, Padroeira da Venezuela. Ela recebeu a coroação canônica em 1952, no dia aniversário de 300 anos após ter aparecido para o cacique.

 

A Imagem, foi analisada, para sua restauração, em 2009. Fatos inexplicável aconteceram. 
A água, que saiu da peça, quando estava sendo tratada, não tinha nenhuma bactéria, apesar da imagem esta exposta e ter sido tocada por várias pessoas, e o PH da água, era neutro. 
A imagem se manter consistente, nítida e tem um suave relevo.  “A tinta se encontra por cima do algodão prensado e de textura rugosa”. 
O trono que a Virgem aparece, é claramente montado dentro de uma construção de taipa típica dos índios. 
A imagem é repleta de símbolos indígenas, como a coroa da Imagem. 
O olho da imagem, mede aproximadamente 0,2 milímetro, acreditava-se que fosse um pingo de tinta, mas examinado em microscópio, aparece claramente o desenho da íris. 
Ainda mais, o olho esquerdo tem características de olho humano. Tem órbita ocular, o conduto lacrimal, o íris e um pequeno ponto de luz nele. Além de que no ponto de luz aparece uma imagem, que se assemelha a imagem de uma índia.
 A imagem esta feita, sobre uma espécie de compensado de algodão, que deveria durar poucos anos, mas resiste ao tempo mais de 300 anos. 

 

Doce Coração de Maria, sede nossa salvação !

MS_Coromoto.jpg
COROMOTO.jpg